•  

       SELO_24_ANOS SELO_CERTIFICACAO_2023  SEJA_UM_APOIADOR

11/07/2017 – Teletrabalho é testado em secretarias do Governo do Estado de SP (11/07/2017)

Durante os próximos oito meses, um grupo de funcionários públicos vai participar de um teste cujo objetivo é reduzir gastos públicos fixos. Se possível, o projeto almeja também aumentar a produtividade no funcionalismo

ALEXANDRE PELEGI

O especialista Olimpio Alvares afirma que o “não-transporte” é, óbvia e simplesmente, um dos modos mais sustentáveis de transporte, ao lado da bicicleta e do andar a pé. “Nos EUA há leis, federal e estaduais, desde os anos 90, obrigando as empresas públicas a adotarem o Teletrabalho onde e quando possível, objetivando a redução da milhagem corporativa do transporte individual motorizado”, ele diz.

Olimpio é consultor ambiental em transporte sustentável e emissões veiculares, e Diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Sobratt – Sociedade Brasileira de TeleTrabalho e Teleatividades. Ele é um dos fundadores da Comissão Técnica de Meio Ambiente da ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos.

O especialista afirma que no Brasil muitas empresas privadas já contam com a estratégia do teletrabalho para aumento da produtividade, redução de custos e até para melhor enfrentar eventuais crises de falta d’água e energia elétrica. “Mas o setor público ainda não foi devidamente contagiado por uma política ambiental e administrativa suficientemente clara – salvo algumas honrosas e surpreendentes exceções, contadas nos dedos da mão”, lamenta Olimpio.

Parece, no entanto, que esta realidade começa a mudar no governo do estado de SP. Durante os próximos oito meses, um grupo de funcionários públicos vai participar de um teste cujo objetivo é reduzir gastos públicos fixos. Se possível, o projeto almeja também aumentar a produtividade no funcionalismo. O modelo adotado é o teletrabalho, e os funcionários que participarão do projeto trabalharão em casa três vezes na semana.

O projeto de teletrabalho, em teste na Secretaria Estadual da Fazenda e na Procuradoria Geral do Estado, permite que os funcionários inscritos no programa possam trabalhar de suas casas de terça a quinta-feira. Há uma exigência: eles precisam se prontificar, caso necessário, a chegar ao local de trabalho em até duas horas. O governo paulista abre a possibilidade para que outros órgãos estaduais apresentem projetos para fazer testes semelhantes.

Segundo o secretário da Fazenda, Hélcio Tokeshi, ouvido por reportagem do jornal Estadão, “os funcionários que estão no Teletrabalho têm produtividade 15% maior”. O projeto, que vinha sendo estudado há mais de seis meses, tem como modelo experiências similares em órgãos como o Tribunal de Justiça do estado de SP.

Olimpio lembra que a Sobratt, ao estudar o material científico sobre o tema, aprendeu que o teletrabalho tem potencial de redução de 10 a 20% dos deslocamentos corporativos motorizados – o que não é pouco, convenhamos. “Raras são as estratégias de controle de emissões veiculares com eficiência maior. Além disso, reduzindo os congestionamentos, reduz-se também de modo significativo os fatores de emissão de poluentes e de consumo de combustível da frota remanescente em circulação, dado o aumento da fluidez e velocidade média do tráfego”, ele acrescenta.

“Trata-se de um jogo de ganha-ganha com vantagens ambientais de todos os lados – e muitos outros benefícios econômicos para as empresas e trabalhadores envolvidos”, afirma Olimpio. Além de redução de custos fixos, meta principal do projeto do governo paulista, há inúmeros outros ganhos, como demonstram os estudos citados pela Sobratt. Isso sem contar na questão familiar, e na importância do relacionamento pais e filhos, principalmente durante a primeira infância.

Recentes pesquisas demonstram que pais que se envolvem ativamente com seus bebês podem ter um impacto positivo na inteligência de sua prole. Quem afirma é Irene Quintáns, arquiteta e urbanista, criadora do site Red Ocara. O Red Ocara é uma plataforma que compila projetos de mobilidade infantil pela América Latina.

Irene explica que mãe e pais que trabalham em casa podem participar muito mais ativamente da vida e da educação de seus filhos. E quanto menores forem as crianças, maiores serão os impactos positivos em suas vidas futuras.

Irene relata que pesquisas recentes demonstraram que os pais devem fazer sua parte, e que quanto maior a interação entre eles (pai, mãe) e seus filhos, maior será o aumento das habilidades de uma criança mais tarde na vida.

O teletrabalho, portanto, traz resultados muito maiores do que imaginamos. O que o governo paulista imagina como meta, poderia na verdade ser entendido como uma reles consequência, diante dos enormes benefícios sociais conquistados.

Sites citados na matéria:

Sobratt – http://www.sobratt.org.br/

Red Ocara – http://www.redocara.com/

<< Voltar