•  

      20_anos_SOBRATT  CERTIFICACAO   SEJA_UM_APOIADOR

31/08/2019 – Trabalha em casa? Apartamentos por R$ 159 mil já vêm com COWORKING grátis (31/08/2019)

Bruna Alves

Colaboração para o UOL, em São Paulo

31/08/2019 04h00

 

Já pensou em ter um espaço para trabalhar ou estudar no quintal de casa, sem atrapalhar a rotina da família? Essa é a ideia que algumas construtoras têm colocado em prática: apartamentos residenciais, inclusos no programa Minha Casa, Minha Vida, projetados com coworking. Há apartamentos com esses serviços na faixa de R$ 159 mil a R$ 225 mil.

 

Coworking é um ambiente comercial equipado com mesas, cadeiras, ar-condicionado, TV e wi-fi, onde profissionais independentes compartilham o espaço e podem trabalhar tranquilamente, como se estivessem em uma empresa. O espaço normalmente é alugado em prédios específicos para isso.

 

Apartamento de R$ 210 mil em Osasco (SP)

 

De olho nessa tendência, algumas construtoras já estão oferecendo o espaço dentro de seus condomínios —sem que os clientes precisem pagar mais por isso.

 

Esse é o caso da Construtora Danpris, que incluiu a proposta em seus empreendimentos. "Disponibilizamos infraestrutura e comodidade para quem deseja trabalhar no empreendimento. Além disso, o espaço gera oportunidades de negócios, parcerias e networking entre os moradores", disse o CEO da Construtora Danpris, Dante Seferian.

 

Em um empreendimento em Osasco (região metropolitana de São Paulo), a construtora lançou apartamentos de dois dormitórios com metragens entre 51 e 55 metros quadrados, área de lazer completa e um coworking de 78 metros quadrados, que será entregue equipado com mesas de escritórios, cadeiras, TVs, banheiro e wi-fi.

 

"Nós temos um público muito jovem, conectado e tecnológico. Essa realidade do coworking vai ser muito usada no condomínio no dia a dia. E hoje já há uma gama de pessoas que realmente vai morar e trabalhar no mesmo lugar. Essa é uma tendência que já está indo para as regiões periféricas e mais econômicas", afirmou Seferian. A entrega está prevista para dezembro de 2021, e o valor inicial está entre R$ 210 mil e R$ 240 mil.

 

Opção de R$ 159 mil perto da USP, em SP

 

Outra construtora que decidiu acompanhar a nova tendência é a Vinx Construtora. Com entrega prevista para 2021, o empreendimento Forma Butantã, localizado na zona oeste da capital paulista, conta com duas torres e apartamentos de 24 a 40 metros quadrados, com até dois dormitórios e terraço. A previsão de preço das unidades é a partir de R$ 159 mil. Segundo a gerente de marketing, Juliana Nascimento, o condomínio terá área de lazer completa e um coworking com 25 metros quadrados, que será entregue com ambiente preparado para reuniões com mesas, cadeiras, TV, cabeamento para projeção de tela e banheiro.

 

"É muito perto da USP, então a gente imagina que vai ter professores, estudantes, profissionais liberais, que precisam de um ponto para trabalhar e para fazer um trabalho de faculdade. E a gente preparou esse ambiente para eles poderem fazer isso dentro do próprio condomínio, sem precisar se deslocar para outro lugar", disse.

 

Opção em Campinas (SP) por R$ 195 mil

 

A Direcional Engenharia também apostou no coworking em um de seus condomínios. A empresa lançou o Arbo Condomínio Parque —um empreendimento com duas torres, localizado em Campinas (SP). Com apartamentos de até 46 metros quadrados, terraço e dois dormitórios, a construtora reservou espaço para um coworking com 17 metros quadrados, que terá três posições de trabalho em bancada e seis em mesa comunitária.

 

"Esse é o futuro. Muitas pessoas vão começar a trabalhar de casa, e a opção de trabalhar dentro do prédio faz todo o sentido. É uma tendência cada vez mais você ter pessoas trabalhando em locais compartilhados, seja por custo ou comodidade", afirmou Flávio Lotaif, superintendente da Direcional em São Paulo.

 

As unidades são ofertadas entre R$ 195 mil a R$ 225 mil e deverão ser entregues em dezembro de 2021.

 

Sobre o Minha Casa, Minha Vida

 

O Minha Casa, Minha Vida é um programa habitacional do governo federal que oferece financiamento para a compra da casa própria, com juros menores que os de mercado e subsídios para famílias que comprovem baixa renda. O valor máximo do imóvel e a possibilidade de receber subsídio dependem da renda da família e da localização do imóvel. A taxa de juros máxima é de 9,16% ao ano. Podem participar do programa as famílias que moram em áreas urbanas com renda bruta mensal entre R$ 1.800 e R$ 9.000, e as famílias nas áreas rurais com renda bruta anual de no máximo R$ 78 mil.

<< Voltar